15 de mar de 2011

O CORPO DO DIA MOLHADO

15 de mar de 2011
.
As horas tingidas de brisa
No corpo molhado do dia
São como alguém que precisa
Reencontrar alegria.
.
Lembram um peso, um fardo
Nas aguas frias do marne,
Ou um cavaleiro hussardo
Com estilhaços na carne.
.
E, como as águas, se espalham
No leito frio e calado
Da brisa que fere e retalha
O corpo do dia molhado
.
FTO

0 comentários: